sexta-feira, 21 de outubro de 2011

SOBRE A SANTA CASA DE CARAGUÁ

Ontem, dia 20 de outubro de 2011, representantes de algumas instituições da cidade de Caraguatatuba, estiveram em São Paulo em visita à comissão parlamentar de saúde na figura do Deputado Estadual Marcos Martins, do PT, que tem sido extremamente atencioso em relação aos problemas de saúde em nossa cidade. A comitiva era composta por José R. Cidreira dirigente do Sindicato dos Aposentados, João Lúcio Teixeira da ONG Olho Vivo, Amauri diretor da Santa Casa, e Luiz Gonzaga do Conselho de Saúde do Bairro Massaguaçu.
A finalidade principal da visita era a de incrementar as discussões sobre a possível regionalização do Hospital Stella Maris, que com a intervenção do Estado passaria a ser um Hospital Regional como o que existe em Taubaté. Sobre esse tema, o Deputado Marcos Martins nos levou ao Presidente da Assembléia deputado Barros Munhoz, que nos recebeu muito bem e se dispôs entrar na luta pela regionalização do Stela Maris. Há por ai, alguns boatos quase oficiais de que seria construído um novo prédio para se fazer um novo hospital na região, o que seria muito mais complicado e até inviável pela onerosidade da obra. Basta ver que a rodovia dos Tamoios está para ser duplicada há mais de 15 anos e não sai do papel. Todos os deputados com quem temos conversado nos dizem que o mais viável é mesmo transformar e ampliar as atividades do Stela Maris que já é uma realidade que necessita de apoio para ser uma instituição referencial na região.
O Deputado Barros Munhoz, presidente da Assembléia comprometeu-se com o  projeto que é também defendido pela própria instituição Missionária que atualmente administra a instituição.  
Recebemos a solidariedade dos deputados Padre Afonso (ontem no cafezinho da estrada), Major Olímpio e agora do Barros Munhoz, todos dispostos a encaparem a nossa luta  popular visando a melhoria na saúde na nossa região que todos os dias manda uma infinidade de pacientes para tratamento fora do litoral.

Nos debates travados sobre o tema, ficou claro que o Stela Maris de três anos até hoje, teve aumento significativo na sua capacidade de atendimento, com a nova maternidade, UTI  neo-natal, e a ampliação do número de leitos, antes com cerca de 80 atualmente com cerca de 140. Afirmam os gestores que não há mais macas nos corredores e que o hospital agora necessita é de reformar a cozinha e ampliá-la para o dobro da capacidade hoje faz cera de 400 refeições/dia e necessita ser capacitada para mil refeições visando o futuro(R$350,000,00). Precisa construir uma cisterna para 200 mil litros de água para se garantir em caso de dificuldade no fornecimento desse líquido imprescindível (R$350.000,00), e finalmente precisa reformar e reequipar o prédio da clínica médica (R$630.000,00) para se tornar definitivamente um grande hospital com plena capacidade de atendimento.
Levando-se em conta que grande parte das reformas já foram feitas e que o restante seja suficiente para tornar a instalação suficiente para atendimento da  demanda regional, fica fácil defender a idéia da regionalização do hospital.
Ontem na mesma visita  aos deputados foram levadas solicitações para  que façam emendas no orçamento do governo do estado para que consigam pelo menos parte dessas verbas em favor da região.
Foi lembrado que o Mozart Russomano quando era deputado conseguiu uma verba que foi usada na aquisição de equipamentos modernos para cirurgias , por exemplo, de joelhos e coluna, através de artroscopia.
Amauri, Cidreira, Dep. Marcos Martins, Dep. Barros Munhoz,
 João Lúcio Teixeira, Luiz Gonzaga
O que estamos buscando com esse movimento popular em torno da saúde local é avançar na qualidade do atendimento sem comprometer o sistema com as terceirizações especulativas de interesses meramente políticos.  Seria o uso da política em função do interesse público.

2 comentários:

cilk disse...

sem duvidas, um alivio que não ira resolver muita coisa, tendo em vista que nossa cidade cresceu significativamente na região SUL do município, fica a pergunta;
1 Qual a razão de não haver o interesse em construir um novo hospital regional, ao invés de ampliar ou reformar a atual SANTA
CASA?

2 OS moradores da região SUL da cidade de Caraguatatuba,sofrem quando necessitam de atendimento com URGÊNCIA tendo que se deslocar enfrentando transito e correndo risco de vida,pelo tempo que levam para chegar até a SANTA CASA,mesmo que fossem resgatados com,ambulância ou corpo de bombeiros, o tempo hábil seria em torno de 10 minutos com velocidade minima de 100km/h,BOM QUAL SERIA A NECESSIDADE AMPLIAR A SANTA CASA OU CONSTRUIR UM NOVO HOSPITAL NA REGIÃO SUL,MESMO QUE TIVESSE UMA DEMORA, MAS SERIA A MELHOR SOLUÇÃO!

3 AO INVÉS DE CONSTRUIR UM NOVO SHOPPING E UM NOVO PAÇO MUNICIPAL,NÃO SEI DEFINIR MAS VOU TENTAR...NÃO SERIA MAIS FÁCIL,CLARO QUE NÃO IRIA GERAR GRANA PARA MUITOS EMPRESARIO,CONSTRUÍREM PRIMEIRO O HOSPITAL REGIONAL?

NÃO ESQUECENDO QUE NOSSA ATUAL ADMINISTRAÇÃO FEZ ALTERAÇÕES,NA ROTATÓRIA SENTIDO SANTA CASA, FICANDO TRÁGICO O TRAFEGO DE VEÍCULOS LOCAIS, VAMOS IMAGINAR COMO SERA NA TEMPORADA?
É SÓ O INICIO DA TRAGEDIA NA TEMPORADA...QUE VIVER VERA!!!


CILMARA do BAIRRO PONTE SECA

munícipe preocupado disse...

SOBRE A STA. CASA DE CARAGUÁ

"Pior a emenda que o soneto", quem não conhece esse ditado? Pois é exatamente isso que significa tentar arrumar a Sta. Casa. As necessidades de hoje são imensamente diferentes de 60 anos atrás, idade do prédio da Sta. Casa, exceto a nova maternidade. Começando pela sua localização, ao lado do rio, até suas instalações, o prédio está totalmente fota dos padrões exigidos e necessários para abrigar serviços de saúde.
Sou contra a desativação do PS e do transporte de pacientes para outros municípios, mas a construção de um novo prédio, com instalações adequadas e modernas, desde água e esgoto até ar-condicionado central e lógica é uma necessidade, sim. Reformar , reformar e reformar o prédio da Sta. Casa, além de ser mais caro e ineficiente, jamais trará para a realidade o que um prédio hospitalar necessita hoje. Acho que já está mais do que na hora de Caraguá e o litoral norte terem um hospital que realmente atenda às necessidades e à demanda da sua população.
Basta de "gambiarras".
Precisamos de pronto-atendimento 24 horas para os casos menos graves e de um hospital equipado com UTI, centro cirúrgico, equipamentos para exames e laboratório que atendem todas as necessidades dos cidadãos.
Serviços como quimioterapia, hemodiálise, exames cardiológicos, exames de imagens, tudo isso deveria ser realizado por aqui.
O foco deve ser o paciente, com humanização dos serviços prestados e não somente o tanto de dinheiro que seria necessário para implantar um bom atendimento hospitalar que nós tanto precisamos.
Aceitar pequenas reformas aqui e ali nada mais é que aceitar esmolas e se contentar com isso. ´
Para se dar esse salto de desenvolvimento tão falado em Caraguá, precisamos, entre outras coisas, de um bom salto em qualidade no serviço de saúde.