terça-feira, 18 de outubro de 2011

UM RECADO DE UM LEITOR

"Dr. João Lúcio estou indignado com a minha situação. Me convidaram para um cargo público, eu que sou concursado aceitei porque precisava do salário. Faço meu trabalho com seriedade e sou digno do que recebo, mas agora me pediram para filiar a um dos partidos de apoio do atual prefeito e agora recebi a determinação de que tenho que ser candidato porque falta quem queira fazer esse papel. Eu respondi que não quero e me disseram que não tenho saída se não perco meu emprego de confiança.
Estou no beco sem saída. O que faço?"

Te respondo

Conforme o seu desejo, vou omitir o seu nome e a cidade.
Para uma proposta indecente tem que haver uma resposta indecente também. Se você não quer ser candidato basta que siga as instruções do alcaide, aceite a indicação, se afaste do trabalho logo após  a convenção partidária no final de junho, direito seu, e assim, faça o que quiser da sua vida, menos pedir votos, se isso não é o seu desejo. Passadas as eleições, toca a vida pra frente como manda a música do Almir Sater, "Tocando em frente" porque se você é mesmo capaz, o novo prefeito irá aproveitá-lo de modo mais respeitoso. Acredite.
É duro precisar de favores de gente sem escrúpulos. Entendo seu dilema, ainda que não concorde que isso possa estar acontecendo com um servidor público que deveria ser respeitado como profissional e nunca usado como moeda de negócio nesse mundo imundo da politicagem safada e corrupta.
Detalhe: Não falamos qual a cidade em que isso vem ocorrendo, por razões óbvias.

Um comentário:

Cris disse...

nem precisa disser ....a cidade acreditamos sim em papai noel kkk