sábado, 20 de abril de 2013

HOSPITAL EM GRAVE CARAGUÁ VIRA O CAOS


O caos anunciado está constatado. Hoje quem se dirigiu ao hospital Stela Maris a procura de atendimento pelos convênios ou quaisquer outros, encontrou as portas fechadas, por conta de uma greve que já anunciamos aqui há três dias.  Os funcionários paralisaram as atividades.
O fato é que, segundo informações de boa fonte, a prefeitura que é a gestora oficial do SUS estaria dificultando os repasses de verbas e a instituição hospitalar não consegue cumprir com seus compromissos, inclusive a folha de salários. O Antônio Carlos tentou até conseguir sufocar o hospital que poderá ser objeto até de intervenção diante do interesse público. Um verdadeiro massacre psicológico contra uma instituição que vinha atuando na cidade há mais de 60 anos.
Não que se diga que era uma beleza o atendimento, porque havia reclamações, mas era melhor do que nada. Poderia ser preservado enquanto se criassem alternativas mais eficientes, mas não fechar o único hospital da cidade. Há riscos graves de perdas de vidas por conta dessa greve.
Parece que a briga entre as irmãs e o prefeito, está resultando no caos, que levou a cidade a uma situação inusitada. O único hospital da cidade está fechado e o prefeito que é o gestor do SUS não criou alternativa que supra  a deficiência.
Enquanto as pessoas correm atrás de atendimento médico os membros do poder estão por ai, fazendo discursos em diversos palanques instalados na cidade que faz hoje um dos seus piores aniversários, a alma da cidade sofre ao ver seus filhos sem hospital numa cidade de cem mil pessoas e mais os visitantes. Nem deveria haver comemorações.
Isso é o que os tucanos  chamam  de choque de gestão.
A cidade não merece tanta irresponsabilidade e falta de competência. A opção UPA do prefeito tem uma fila imensa e todo mundo reclamando do mau atendimento.
Ainda bem que 2016 está chegando para por fim a essa agonia política gerada pelo ódio e intolerância dos políticos daqui que governam olhando para quem é a favor ou contra o seu partido ou interesse. Pra que tanto ódio? 

Um comentário:

Sara Bartu disse...

fiquei 16 horas para ser atendida e me mandaram de volta para casa pois nao tinham leito para internação