segunda-feira, 30 de abril de 2012

O BRASIL TEM JEITO

O Jornal "Estadão" trouxe neste último final de semana matéria sobre mortalidade infantil no Brasil. A conta foi feita pelo Ministério da Saúde e mostra que de 2000, até 2010 a mortalidade infantil caiu em 48,5%, o que significa na prática que a mortalidade infantil foi reduzida pela metade em 10 anos.
Temos falado aqui, e já falei inúmeras vezes no rádio que os governantes não existem somente para fazer pontes,  ruas e prédios, mas deveriam se preocupar com o desenvolvimento do ser humano e assim construir nações melhores. O Nordeste é o principal responsável pela redução nacional, já que, por lá, as mulheres conseguiram limitar o nascimento de muitos filhos e com número menor, os cuidados podem ser mais plenos. Outro fator destacado na matéria foi o aumento do nível de escolaridade das pessoas, o que induz ao natural controle de suas proles. 
A afirmação de que prefeitos deveriam empregar mais verbas na formação das pessoas, através profissionalização, escolaridade, e geração de postos de trabalho está correta porque o ex-presidente Lula, praticou durante todo o seu mandato de presidente a política de combate à miséria, combate à fome, e incentivou a economia no sentido de gerar empregos. Esses fatores mostram na prática que resultados sociais são mais importantes do que o chamado progresso do asfalto, e dos grandes edifícios. Caraguatatuba tem sido um exemplo de políticas condenáveis em matéria de desenvolvimento humano. Aqui a mortalidade infantil segue alta, a criminalidade juvenil reflete a falta de atenção ao jovem, que não sendo profissionalizado acaba se perdendo. Essa a razão de tantos homicídios entre pessoas de idade abaixo de 25 anos.
O Brasil tem experimentado nos últimos 10 anos de governos com vocação social, mostrando que as políticas que elevam a pessoa humana, geram maior capacidade de consumo de sua própria produção, e acentuam  o desenvolvimento econômico em função do aumento do, IDH ou Índice de Desenvolvimento Humano do seu povo. Gente melhor, constrói mundo melhor.
Estamos atualmente perdendo mais tempo gastando tudo o que se arrecada em asfalto e edifícios futuristas, deixando de lado o ser humano, que se recebesse pelo menos uma parte desses investimentos poderia construir uma cidade melhor, sem precisar de favores de políticos para conseguir algum trabalho.
Seria importante que os municípios fizessem leis obrigando os prefeitos a aplicarem sempre em favor do desenvolvimento de seus munícipes, determinado percentual do que aplicam em cimento. A cada gasto com cimento, deveria ser obrigatório o investimento nas pessoas. Governo não é só para fazer obras de engenharia, mas para fazer pessoas melhores. 
O Brasil está mostrando que  há jeito e o jeito é melhorar o nível do conhecimento de todos os brasileiros para que o próprio povo construa o seu futuro..

Nenhum comentário: