sexta-feira, 4 de abril de 2014

CARAGUATATUBA PRECISA VOLTAR A SORRIR

A história se realiza e a lógica sempre prevalece. O Blogdojoaolucio, vinha há algum tempo observando o governo do Sr. Antônio Carlos da Silva na prefeitura de Caraguatatuba. O estilo de governo que ele empreendeu na cidade tem o formato exato das ditaduras que evitam a imprensa, evitam o povo e fogem dos debates. É um modelo pautado na autosuficiência, na arrogância e no desrespeito ao ser humano. Governo de obras de cimento e asfalto, sem humanidade, sem solidariedade e sem a menor preocupação com as pessoas que sofrem com a má qualidade dos serviços públicos, não pode ser um bom governo. Quando o prefeito resolveu intervir na saúde da forma truculenta com que se comportou, expulsando as irmãs de caridade do hospital que era delas há mais de sessenta anos, mostrou a sua faceta audaciosa. Ninguém fica impune quando excede os limites do razoável. Ele não conseguiu organizar a saúde pública que se transformou num verdadeiro caos. Os profissionais da área não querem trabalhar em um sistema que desagrada a tudo e a todos. Os médicos não querem ir pra Caraguá, e o povo cobra insistentemente soluções que não chegam. Há quem diga que o problema é de todo o Brasil, mas essas pessoas que defendem esse estado coisas não enxergam o quanto ficou pior do que já era a saúde na cidade. Agora surge a informação de que o prefeito vai renunciar o seu mandato hoje mesmo e que seu filho o vice-prefeito, outro erro fatal essa escolha, também vai renunciar. Os motivos, eles não dizem, mas dá pra entender que a pressão tem sido tão forte que se tornou impossível de ser suportada. Jânio Quadros quando fez o mesmo com a presidência da república falou em “forças estranhas”, Getúlio Vargas fez pior, suicidou no cargo. Agora o Antônio Carlos deixa o cargo em um momento histórico para a cidade de Caraguatatuba que precisa seguir o seu destino sem essas intervenções autoritárias. A cidade precisa ouvir os seus munícipes, o prefeito precisa andar nas ruas e conversar com o povo. Antônio Carlos há muito tempo não fazia isso, ou não podia fazer isso, porque governava com ódio de todos os que dele discordavam. Usava o velho lema: “ou está comigo, ou é meu inimigo”. O poder não é isso, o poder é do povo e é pra ele que os benefícios do governo devem ser destinados. O bom prefeito não tem amigos para serem beneficiados e nem inimigos para serem perseguidos. O bom prefeito governa para todos, sem ódio nem perseguições. Antônio Carlos foi um exemplo ruim de exercício do poder, porque não aceitava e nem ouvia críticas, pondo-se acima de tudo e de todos. Por isso está morrendo asfixiado pela falta de oxigenação do seu governo. O presidente da câmara municipal deverá ocupar interinamente o cargo de prefeito, comunicar o fato à justiça eleitoral, e uma vez decretada a vacância do cargo, o Juízo eleitoral deverá deflagrar o processo eleitoral e realizar novas eleições em 90 dias, e as eleições devem ser consideradas como novas eleições permitindo-se que qualquer cidadão filiado a mais de um ano em algum partido, possa ser candidato.
O atual prefeito tem os seus méritos e isso ninguém pode negar, porque chefiou o poder na cidade por treze anos e três meses tendo deixado a sua marca no campo das obras físicas.
Sendo confirmada a sua decisão de deixar a cidade, a história saberá avaliar os seus méritos e deméritos, e o futuro vai se realizar rumo a felicidade do povo. A lição que fica de tudo isso, é a de que os recursos públicos devem ser canalizados preferencialmente para o desenvolvimento do ser humano, antes do desenvolvimento material. Preparar a cidade para o futuro é construir seres humanos melhores para que eles consigam construir o mundo melhor.
O novo prefeito terá muito trabalho para estabelecer uma verdadeira democracia na cidade cujo povo anda com medo do poder, sem coragem de se manifestar ou de participar dos debates, com medo de perseguição. O secretariado terá que ser totalmente modificado e ocupado por pessoas que consigam olhar o povo sem medo do chefe. Por pessoas que tenham a vocação de conversar ouvir e falar das coisas do poder, e decidir pelo que seja melhor para o povo sem preocupações com grupos políticos ou empresariais. A cidade precisa se livrar do medo, e do ódio que impregnou a vida de mais de cem mil pessoas que vivem sob o estigma do terror. Seria bom que se conhecesse um prefeito que seja alegre, feliz na sua vida particular, realizado no campo pessoal, que ame as pessoas, que seja solidário com os que sofrem, e acima de tudo aberto e transparente. A cidade precisa voltar a sorrir.

João Lúcio Teixeira

2 comentários:

dayana santos disse...

Ola João Lucio , sou filho do Luiz Paulo costa , estou morando aqui a mais de um ano e tenho notado essa falta de interesse pela população , presto serviço para uma casa de recuperação em Bragança Paulista , e venho tentando colocar aqui um projeto de prevenção nas escolas , e não sou ouvido por ninguem , isso está me deixando muito insatisfeito com o atual governo ,e secretarios , vejo um total desinteresse a respeito , cujo problema é o maior culpado pela criminalidade , o aumento do uso de drogas , deixo aqui meu contato , gostaria muito de poder trocar conversar com o senhor pessoalmente :sergiofabiano@uol.com.br Cel:98160-5424

Anônimo disse...

Eu conheço um que é alegre e bem realizado familiarmente, O AGUILAR.